O modo como enxergamos um problema tem impacto profundo sobre o modo como chegamos a uma solução — e, em última instância, sobre a solução em si. Quem soluciona problemas está condicionado a optar por uma de duas táticas: pensar e pensar para achar a melhor solução ou dedicar menos tempo ao problema e se contentar com uma saída razoável. No livro The Art of Problem Solving, Russell Ackoff lembra que há um terceiro caminho.

Para Ackoff, uma charada é “um problema impossível de resolver devido a limitações impostas pela própria pessoa”. Ou seja, ficamos atolados em problemas aparentemente sem saída quando nossa visão é estreita demais. Ackoff acha que o insucesso viria mais da incapacidade de enxergar corretamente a natureza do problema do que da incapacidade de resolver o problema vislumbrado.

Logo, o terceiro tipo de solucionador de problema pode ter um quê de espertalhão — é a pessoa que redefine e, na prática, elimina o problema ao raciocinar além das limitações aparentes.

O dilema? Quanto maior a capacidade de encarar e solucionar problemas do jeito convencional, mais difícil enxergar um atalho. Portanto, pare e respire. E, antes de se lançar com tudo atrás da solução ideal, pense um pouquinho que seja em como simplesmente fazer o problema evaporar.

Entre em contato com Don Moyer no endereço dmoyer@thoughformdesign.com.

Share with your friends









Submit