Quais são os seus interesses pessoais? Se você não precisasse trabalhar ou pensar em uma carreira específica, como gostaria de passar os seus dias? Escrevendo? Criando uma obra de arte? Brincando com números, ou fazendo alguma atividade física? Ensinando ou interagindo com outras pessoas? Ou quem sabe todas as alternativas anteriores? Por mais que a possibilidade de combinar vários interesses em uma só carreira soe um tanto irrealista nos dias de hoje, em eras passadas a história era bem diferente. Gênios renascentistas como Leonardo da Vinci, Leon Battista Alberti e Thomas Jefferson mostraram ao mundo que o ser humano é capaz de desenvolver habilidades nas diversas áreas do conhecimento. Famosos por seus múltiplos “dons”, esses nomes nos fazem pensar em como é possível ser arquiteto e filósofo, músico e atleta, engenheiro e pintor, líder político e inventor, tudo com grande excelência e ao mesmo tempo. Pensadores modernos explicam: segundo Howard Gardner, psicólogo renomado da Universidade de Harvard, “Todos os indivíduos têm potencial para ser criativos, mas só serão se quiserem”. Autor da teoria das inteligências múltiplas, o pesquisador defende que a ideia de que o intelecto pode ser medido através de um simples teste de QI é completamente equivocada. Ele também refuta a ideia de que já nascemos com aptidões predeterminadas. Apesar do componente genético ser importante na determinação da inteligência, ele é responsável por apenas 48% do QI de um indivíduo. Ou seja, os 52% restantes podem ser desenvolvidos através de cuidados pré-natais, do ambiente e da educação. Portanto, ter diferentes interesses e competências deveria ser fato comum entre nós. Uma vez identificados e cultivados – processo que está fortemente ligado ao autoconhecimento –, fica a dúvida sobre como integrá-los em nossa vida pessoal e profissional.

 

 

No campo da educação, uma novidade animadora que ainda engatinha no Brasil é o Bacharelado Interdisciplinar, que conta com uma formação totalmente flexível. A mistura de disciplinas obrigatórias, de opção limitada e de opção livre proporciona uma educação holística e algum tempo de experimentação para que o aluno possa, posteriormente, escolher de modo mais consciente a profissão que deseja seguir. Outra dica é procurar carreiras ou ocupações que são interdisciplinares por natureza. Gestão ambiental combina a preocupação com o meio ambiente e a busca por qualidade de vida e inovação, por exemplo. Antropologia envolve linguagem, história e literatura. Um empreendedor precisa ter bom senso sobre diversos aspectos dos negócios, desde psicologia humana até marketing e desenvolvimento de produtos.

No mundo corporativo, tornar-se proativo e multifuncional dentro da empresa também pode ajudá-lo a expressar suas habilidades em diferentes áreas. Tomar a iniciativa para desenvolver projetos incomuns ou se envolver com times de outras especialidades pode ser altamente estimulante para os multi-apaixonados, além de uma maneira de se destacar – desde que a organização e o chefe entendam a sua perspectiva, claro. A maioria dos mercados são receptivos a especialistas ecléticos ou generalizantes, nas palavras do economista Roberto Macedo em recente palestra no Insper, em São Paulo. Segundo ele, o domínio de línguas e da matemática, na sua lógica e utilização, da informática básica e uma boa dose de inteligência emocional são traços buscados pelos empregadores hoje em dia. A capacidade de aprender a aprender e de aprender a resolver problemas torna-se, dessa forma, fundamental. 

É por isso que acreditamos que vivências fora da zona de conforto possibilitam a exploração e a integração desses interesses múltiplos. Especificamente, estudar, trabalhar e viver no exterior possibilita, por exemplo, “brincar” de a) filósofo, antropólogo e/ou psicólogo – ao se deparar analisando comportamentos e pensamentos diferentes dos seus; b) engenheiro – ao projetar e arquitetar seus dias com poucos recursos num ambiente incerto e desconhecido; c) biólogo, geólogo e/ou oceanógrafo – ao perceber as incríveis belezas naturais que existem mundo afora; d) historiador – ao desvendar as narrativas fascinantes por trás de monumentos e lugares lendários; e) ____________________[coloque aqui a sua ocupação de preferência e deixe a imaginação rolar]. 

 

 

Invista no autoconhecimento. Descubra suas paixões e se dedique a elas. Alimente a sua curiosidade e criatividade. Mas, independente do(s) caminho(s) seguido(s), não deixe de ouvir o mestre: “Que o teu orgulho e objetivo consistam em pôr no teu trabalho algo que se assemelhe a um milagre.” ~Leonardo da Vinci.

 

Daiana Stolf é dentista por formação e viajante por paixão. Nada a deixa mais contente do que uma câmera na mão, uma cidade nova para descobrir, uma cidade velha para redescobrir, e uma página em branco esperando ser colorida por pensamentos, ideias e sentimentos. A graduação na Universidade Federal de Santa Catarina foi só o primeiro passo. De garçonete a mestre pela Universidade de Toronto, no Canadá, de cientista da EPFL, na Suíça a aluna de Gestão Estratégica na Universidade de Harvard, nos EUA, de tradutora a voluntária, seu atual desafio é virar doutora na arte de conciliar seus diferentes interesses. Co-fundou a TopMBA Coaching, onde atualmente trabalha como coach. Seu mantra? Aproveite a vida com uma mente aberta, um coração sincero e um espírito livre!

 

Alex Anton é MBA pela Harvard Business School e mudou radicalmente de carreira: de bioquímico a consultor de empresas a empreendedor. Já morou e trabalhou no Canadá, Alemanha, Suíça, Indonésia, Estados Unidos e China. É fundador da TopMBA Coaching – www.topmba.com.br – e entusiasta da meditação, fotografia e corrida. Suas ideias podem ser conferidas no blog transforME –www.transforme.is

Share with your friends









Submit