Os ícones de interface de usuário nos ajudam a lidar com a tecnologia. Alguns são óbvios, mas outros parecem ilógicos. Um sobreviveu a uma experiência de quase morte, outro envolve um rei dinamarquês, e outros ainda retratam objetos prestes a virar relíquias. Aqui está um pequeno histórico das linhas e círculos que encontramos em nossos computadores, telefones e aplicativos.

 

O IMORTAL SÍMBOLO @ AINDA BOMBANDO DEPOIS DE 1.500 ANOS

Conte quantas vezes você pressiona a tecla @ a cada dia. É sem dúvida um dos símbolos mais usados em nossos dispositivos, necessário para e-mails e tweets. Mas o sinal da arroba, conhecido como “caracol” na Itália e “rabo de macaco” na Holanda, quase foi relegado ao esquecimento na máquina de escrever. Antes de chegarmos a esse ponto, aqui vai uma breve história, cortesia da Smithsonian Magazine e do Museu de Arte Moderna de Nova York, que abriga uma coleção de @s. No século 6, o símbolo era usado como ligadura para combinar as letras da preposição latina ad (“em” ou “para”) em um só traço na caligrafia. Ele evoluiu e foi utilizado em transações comerciais venezianas para indicar a ânfora (jarra usada por mercadores como unidade de medida) e por comerciantes espanhóis para representar a arroba, outra unidade de medida. Depois, ganhou o significado de “à taxa de”, como em “12 pêssegos @ $ 1,50 custam $ 18”.

 

 

Em 1885, o símbolo apareceu na máquina de escrever americana Underwood. Ficou nos teclados ao longo do século seguinte, mas era usado cada vez menos. Até que, em 1971, Ray Tomlinson o tirou da obscuridade. Encarregado pela empresa de pesquisa e desenvolvimento de tecnologia Bolt, Beranek and Newman de criar uma forma de enviar mensagens entre computadores na Arpanet, Tomlinson decidiu usar o símbolo num e-mail inicial porque ele sugeria localização — e já estava nos teclados. Como ninguém o usava, ele estava pronto para um novo papel.

 

clique na imagem para ampliar

Share with your friends









Submit