Gestão pessoal

Pais que trabalham: façam da amizade uma parte da sua rotina

Neal J. Roese e Kyle S. H. Dobson
28 de agosto de 2020

Monica delicadamente coloca seu filho Hudson, de dois anos, na cama para dormir. Ela havia encerrado seu dia de trabalho como gestora sênior de um banco mundial. Ao fechar a porta do quarto do filho silenciosamente, seu pensamento volta aos documentos que ainda precisa revisar, para se preparar para uma reunião logo cedo no dia seguinte. Antes disso, ela gostaria de retornar uma ligação de uma amiga, mas ela simplesmente não tem tempo (ou a energia) agora.

Leia também:

Em quais dados da COVID-19 podemos confiar?

Como colocar sua carreira de volta nos trilhos

Para Monica e muitos outros pais que gerenciam carreiras desafiadoras, equilibrar o trabalho e a família é um esforço enorme. Sejam os filhos pequenos ou adolescentes, os pais que trabalham podem ter dificuldade para dividir seu tempo e ainda se sentirem satisfeitos e comprometidos em ambas as atividades. As amizades mal aparecem nesse tentativa de equilíbrio – o que é um problema. Uma pesquisa básica em psicologia mostra que os amigos são os principais contribuidores  não só para o bem-estar mental dos pais que trabalham, como também para o sucesso de suas carreiras.

É importante ter amigos. Compartilhamos nossos segredos mais íntimos com os amigos mais próximos, e podemos contar com eles no caso de uma emergência. Pesquisas mostram que uma amizade íntima é essencial para o bem-estar psicológico e físico. Os amigos mais íntimos geram um bem-estar emocional maior. Eles trazem benefícios para a nossa fisiologia básica, como mostrado em estudos que associam as conexões sociais à proteção, em nível celular, contra doenças. Por exemplo, a probabilidade de pegarmos um resfriado é bem menor se tivermos uma sólida rede de amigos. De fato, ter uma rede sólida de amigos pode reduzir a mortalidade em 50%. Os amigos também potencializam o desempenho no trabalho. Por um lado, os amigos (que não trabalham na sua empresa) dão uma “visão de fora” que pode destravar novos insights e abrir os olhos para perspectivas mais amplas. Por outro, os amigos reduzem o estresse. Um happy hour após um dia complicado de trabalho, mesmo virtual, pode acalmar a mente, bem como o corpo.

Ainda que os pais reconheçam a importância de seus amigos, é muito comum deixar aqueles encontros para o fim da lista de prioridades. Na verdade, o tempo usado com os amigos cai de maneira consistente ao longo da vida; desde o pico, nos anos da adolescência, a queda mais rápida acontece entre os 20 e 30 anos, precisamente a média de idade em que os filhos entram na nossa vida.

Então, o que podemos fazer?

As amizades são alimentadas ao simplesmente compartilhar experiências, como participar da mesma aula, suar na mesma academia, ou até usar o mesmo elevador do prédio. Portanto, não é de se surpreender que elas sejam reforçadas por meio do compartilhamento direcionado – por exemplo, pense em eventos como grupos de leitura e degustação de vinhos. Organizar esses encontros, no entanto, é difícil quando se tem filhos e, mais difícil ainda, quando seu amigo mora do outro lado do continente – ou do planeta!

A solução que estamos explorando na nossa pesquisa acadêmica é uma a que chamamos de agregação. A agregação é a criação de experiências compartilhadas ao combinar – ou juntar – as tarefas cotidianas da vida de dois colegas. Em vez de buscar um tempo específico para o grupo de leitura, escolha uma tarefa que você costuma fazer sozinho – como ir ao supermercado, fazer o jantar ou até ler histórias antes de dormir. Então, com o uso da tecnologia, conecte-se a um amigo que esteja fazendo a mesma coisa. Por exemplo, quando for a hora de fazer supermercado, faça no mesmo instante que seu amigo e converse com ele com fones de ouvido enquanto você faz a compra. Quando for a hora de fazer o jantar, conecte-se ao seu amigo pelo Facetime e compartilhe seus truques culinários por vídeo. Quando for a hora de ler uma história para seus filhos antes de dormir, conecte-se pelo Zoom e deixe os filhos do seu amigo participarem. O prazer de realizar o agrupamento é que não é preciso estar no mesmo lugar, mas sim, na mesma hora.

A agregação nos permite incluir amigos na nossa vida conturbada. Diferentemente de um happy hour, a agregação das atividades não sacrifica o nosso precioso tempo em nada – e não é preciso nem sair de casa. Pelo contrário, essa junção nos deixa tirar proveito das atividades do cotidiano como pais para, simultaneamente, fortalecer nossas amizades. Incorporar nossos amigos em  partes imprescindíveis  da nossa vida nos torna mais autênticos ao lhes mostrar o que de fato acontece nos bastidores (ao contrário da foto feliz que mostramos em posts no Facebook). Esse tipo de revelação íntima e vulnerável é o ingrediente secreto para manter relações estreitas. Essa agregação também pode ser rápida. Basta uma ligação enquanto limpa a sala de estar, para se sentir próximo a este amigo que mora em outra cidade.

A boa notícia sobre a junção das atividades é que atualmente vivemos numa época abundante em soluções tecnológicas, que nos ajudam a compartilhar momentos. Muitos pais que trabalham estão descobrindo uma infinidade de produtos tecnológicos para se conectarem online, principalmente agora que muitos de nós estamos praticando o distanciamento social. Ao pensar no poder da agregação, as opções em tecnologia a seguir são somente a ponta do iceberg.

  • Utilize o Zoom ou o Skype enquanto cozinha. Tente fazer o mesmo prato que seu amigo em tempo real, enquanto ambos assistem às suas próprias criações.
  • Utilize o app Marco Polo para criar mensagens por vídeos curtos naquele instante para que seu amigo assista mais tarde, ao final do dia. Faça vídeos curtos, porém verdadeiros.
  • Use fones de ouvido com redução de ruído para falar ao telefone (sim, telefone) ao fazer as tarefas domésticas, como guardar a louça da máquina, lavar a roupa ou fazer a faxina.
  • Use o Facetime ou o Duo enquanto faz o supermercado. Mostre os produtos diferentes e esotéricos que você compra para seus filhos.
  • Simule uma experiência no cinema com sua família e a família de seus amigos. Comece o filme com um clique no Hulu ou no Netflix pelo telefone, ao mesmo tempo; desligue e, ao término, fale sobre ele com seus amigos. Se for uma comédia, tente fazer uma conexão somente por voz com as pessoas da casa do seu amigo de modo que você possa ouvir a reação às partes engraçadas; a risada é contagiante.
  • Trabalhando na mesma hora que seus amigos? Utilize o Slack no lugar de mensagens de texto para que vocês se mantenham atualizados, focados nas metas e em conexão ao longo do dia. Crie uma cafeteria virtual com vídeo, usando sua própria cafeteira.

Os pais que trabalham têm um enorme desafio quanto à gestão do tempo, mas esse desafio pode receber ajuda – e não, uma piora – quando você se conecta com os amigos. Há várias maneiras de manter contato com eles sem ter de sacrificar quem você é. Incentive seus amigos a compartilhar as tarefas contigo; isso pode ajudar a ambos, sem esforços extras e sem causar estresse. Sempre que você quiser fazer algo sozinho, pergunte-se se há alguma forma de incluir um amigo na atividade.


Se o nosso conteúdo lhe ajuda a enfrentar esses desafios, considere ser um assinante da HBR Brasil. A assinatura é a melhor forma de apoiar a criação desses recursos.


Neal J. Roese é presidente da SC Johnson no setor de marketing global na Kellogg School of Management da Northwestern University.


Kyle S. H. Dobson é doutorando em Gestão e Organizações na Kellogg School of Management da Northwestern University.

Compartilhe nas redes sociais!

replica rolex